top of page
  • Foto do escritorAnna Carolina Romano

O que são dados abertos governamentais?

Título do artigo ao lado de uma imagem em 3D representando um documento e engrenagens

Nos últimos anos, os dados abertos governamentais emergiram como um recurso indispensável, impulsionando a transparência, a participação cívica e a inovação. Disponibilizados pelos governos de forma livre e gratuita, esses dados oferecem uma visão detalhada das engrenagens governamentais.

Nesse sentido, os dados abertos são reconhecidos como uma ferramenta determinante para fortalecer os processos democráticos. Eles não apenas capacitam os cidadãos comuns a se envolverem mais ativamente, mas também estabelecem uma base sólida para uma comunicação eficaz entre os cidadãos e seus representantes


Quando os cidadãos têm acesso transparente a propostas políticas, os políticos podem representá-los de forma mais autêntica, ouvindo e agindo de acordo com as necessidades e opiniões de seus eleitores.


Neste artigo, vamos explorar de forma detalhada o significado e o impacto dos dados abertos governamentais, destacando sua importância, benefícios, exemplos práticos e o papel fundamental que desempenham na sociedade e nos negócios.


Dados abertos governamentais: informação pública


Os dados abertos governamentais representam um conjunto de informações mantidas e divulgadas pelos órgãos públicos. Esses dados são caracterizados pela sua acessibilidade e interoperabilidade, permitindo que sejam facilmente acessados, utilizados e compartilhados por qualquer pessoa. 


Essa acessibilidade é um dos princípios fundamentais dos dados abertos governamentais, garantindo que não haja barreiras para o acesso à informação pública. Além da acessibilidade, os dados abertos governamentais também são regidos por outros princípios importantes. 


Um deles é a transparência. A Política de Dados Abertos no Brasil, embasada na Lei de Acesso à Informação (LAI), representa um marco na promoção da transparência e participação cívica nos órgãos e entidades federais. Seus objetivos principais incluem promover a transparência pública, estimular o controle social, fomentar a inovação e aprimorar os serviços públicos digitais.


Para garantir a efetividade da política, é essencial que os órgãos federais cumpram suas obrigações de publicar dados abertos, conforme orientações do Comitê Gestor da Infraestrutura Nacional de Dados Abertos (CGINDA). A gestão e monitoramento da política são atribuições da Controladoria-Geral da União (CGU), por meio da Infraestrutura Nacional de Dados Abertos (INDA), que define padrões e tecnologias para a disseminação de dados.


Essas informações podem ser visualizadas em uma variedade de plataformas e portais online. Muitos governos disponibilizam esses dados em seus próprios sites, organizados em catálogos ou bancos de dados específicos. Além disso, existem portais de dados abertos governamentais e plataformas de coleta e gestão, que agregam e organizam as informações em um único local, facilitando o acesso e a busca por palavras-chave específicas.


Plataformas como o data.gov nos Estados Unidos, o dados.gov.br no Brasil e o dados.gob.es na Espanha são exemplos de portais governamentais que oferecem acesso a uma ampla gama de dados abertos em diferentes áreas, como saúde, educação, transporte, entre outros.


Esses portais geralmente oferecem recursos de busca avançada, visualização de dados e ferramentas de análise para facilitar a exploração e o uso dos dados por parte dos cidadãos, pesquisadores e desenvolvedores.


Utilização dos dados abertos governamentais


A observação dos dados abertos governamentais é essencial para o bom funcionamento da sociedade e da economia, proporcionando uma compreensão mais abrangente das políticas públicas e práticas governamentais. Isso porque a avaliação e o acompanhamento dessas informações fortalece a democracia ao permitir que os cidadãos participem ativamente do processo de governança.


No âmbito empresarial, os dados abertos governamentais representam uma fonte infindável de insights e oportunidades. Por exemplo, imagine uma empresa de tecnologia que desenvolve soluções para mobilidade urbana. Ao acessar os dados abertos sobre transporte público, tráfego e infraestrutura viária disponibilizados pelo governo local, essa empresa pode identificar padrões de deslocamento da população, pontos de congestionamento e áreas carentes de transporte público. 


Com base nessas informações, ela pode desenvolver aplicativos de navegação mais eficientes, sistemas de compartilhamento de carros ou até mesmo propor melhorias na infraestrutura de transporte.


Além disso, os dados abertos podem ajudar as empresas a se defenderem de riscos potenciais. Por exemplo, uma empresa de agronegócio pode monitorar os dados abertos sobre condições climáticas, previsões de safra e políticas governamentais relacionadas ao setor agrícola.


Essas informações podem ajudá-la a antecipar problemas como secas, pragas ou mudanças na legislação que possam afetar suas operações. Tomando conhecimento desses insights, a empresa pode tomar medidas proativas, como diversificar sua produção ou investir em tecnologias de irrigação mais eficientes, para mitigar esses riscos.


Em suma, os dados abertos governamentais oferecem às empresas a oportunidade de inovar, identificar tendências de mercado e se adaptar a mudanças no ambiente regulatório. Ao aproveitar esses dados de forma criativa e inovadora, as empresas podem ganhar vantagem competitiva, melhorar sua tomada de decisões e contribuir para o desenvolvimento econômico e social.


Imagem de um mapa global com números indicando quantidade de dados governamentais
O que são dados abertos governamentais?

Desafios e limitações na utilização de dados abertos governamentais


Apesar dos benefícios inegáveis dos dados abertos governamentais, enfrentamos uma série de desafios que podem dificultar sua disponibilização e uso efetivo. Entre esses desafios, destacam-se questões como a qualidade dos dados e acessibilidade, que representam verdadeiros obstáculos para uma utilização eficaz desses recursos.


Um dos principais desafios enfrentados é a qualidade dos dados. É essencial que os dados disponibilizados pelos órgãos governamentais sejam precisos, atualizados e confiáveis para que possam ser utilizados com segurança em análises e tomada de decisões. Problemas como inconsistências nos registros, falta de padronização e ausência de metadados podem comprometer a utilidade e a credibilidade dos dados abertos.


Outro desafio significativo é a acessibilidade aos dados. Nem todos os portais têm a capacidade ou o compromisso de disponibilizar dados de forma aberta e acessível ao público. Muitas vezes, as informações governamentais estão dispersas em diferentes sistemas e formatos, dificultando sua localização e uso por parte dos cidadãos e das empresas.


Banner oferecendo agendamento gratuito da plataforma Inteligov

Tecnologia como aliada na gestão de dados abertos governamentais


Para superar esses desafios, é importante que os órgãos públicos adotem padrões e práticas de disponibilização de dados mais consistentes e transparentes. A padronização dos formatos de dados, a implementação de políticas claras de privacidade e segurança e o investimento em infraestrutura tecnológica adequada são passos essenciais para garantir a qualidade e a acessibilidade dos dados abertos governamentais.


Nesse contexto, plataformas de monitoramento governamental podem transformar a experiência de profissionais que dependem dessas informações. Essas plataformas têm a capacidade de coletar, organizar e disponibilizar dados governamentais de forma prática e rápida, facilitando o acesso e a análise dessas informações por parte das empresas. 


Ao oferecer insights sobre políticas públicas, legislação e tomada de decisões governamentais, plataformas como a Inteligov criam oportunidades de mercado e fortalecem as estratégias de relações governamentais das organizações, contribuindo para o bom funcionamento das operações em diversos setores.



Foto e descrição da autora do artigo

bottom of page