top of page

Aspectos práticos da assessoria institucional




Profissionais de relações institucionais e governamentais (RIG) assumem durante a sua carreira a delicada missão de conduzir estratégias para tratar de temas complexos. Saber como se preparar para atuar em atividades de assessoria institucional é uma tarefa que desperta a curiosidade e o interesse de quem atua nesse mercado.


Para tratar do assunto, a Comunidade Inteligov recebeu Emerson Casali, diretor da CBPI Produtividade Institucional, com o objetivo de destacar quais são os aspectos práticos da assessoria institucional.


Além disso, o evento abordou detalhes sobre como o profissional de RIG deve se preparar para atuar de forma eficaz em um tema que está movimentando a agenda econômica no Congresso Nacional: a Reforma Tributária.


Emerson possui mais de 20 anos de experiência em relações institucionais, tendo ocupado posições de liderança em entidade de representação empresarial, grande empresa e governo. Também é especialista em desenvolvimento de projetos de advocacy em temas tributários e trabalhistas.


Experiência para atuar em assessoria institucional


Ter conhecimento em várias áreas é fundamental para atuar com eficácia em assessoria institucional, e isso se deve a uma série de razões essenciais.


A amplitude de conhecimento permite uma compreensão mais abrangente das complexidades envolvidas nas operações institucionais. Uma instituição enfrenta uma variedade de questões, desde aspectos financeiros e legais até considerações estratégicas e de comunicação.


Ter um conhecimento sólido em diversas áreas possibilita entender as interconexões entre esses fatores, proporcionando uma visão mais completa do quadro geral.


Nesse sentido, Emerson afirma que uma boa maneira de firmar experiências na área de assessoria institucional, é ser colocado diante de problemas reais. Saber acompanhar as produções legislativas é um bom exemplo, pois quando surge uma pauta complexa geralmente os profissionais ainda não estão preparados para apoiar uma suposta aprovação ou impedir que a matéria avance.


O especialista também destaca que na área de assessoria institucional, dificilmente alguém consegue se sobressair se não investir em uma rede de relacionamentos.


Verificar os problemas de quem está ao seu redor te capacita a visualizar as possibilidades", pontua Emerson.

O conceito de produtividade institucional


Gerar valor é o grande objetivo da produtividade institucional. Durante o evento, Emerson contou sobre como decidiu investir em prestar assessoria e consultoria para auxiliar as empresas a lidarem com temas complexos e a tomarem decisões.


Atuar com esse tipo de assessoria não significa apenas conduzir a imagem e manter bons relacionamentos, mas trazer resultados concretos para um negócio. Emerson afirma que esses resultados podem ser pensados como ações que geram ganhos ou que evitam perdas.


Durante a conversa, Raphael Caldas, fundador e CEO da Inteligov, questionou o convidado sobre a diferenciação da atuação de RIG e de advocacy, em especial voltada para os temas complexos como questões trabalhistas e tributárias.


Para exemplificar, Emerson contou que o papel da assessoria é o de desempenhar uma orientação sobre o tema de uma forma mais especializada que o cliente. Portanto, se o cliente monitora questões trabalhistas, a função da assessoria institucional é de utilizar melhor as ferramentas de monitoramento e munir o cliente com essas informações de uma maneira que ele não faria.


Já em relação às ações de advocacy, o especialista usou como exemplo o tema da desoneração da folha de pagamento, que envolve o interesse de diversos setores da economia. Ele explica que uma empresa de um setor específico não teria as mesmas condições de articular sozinha, mas que ao coordenar essas ações é possível obter resultados interessantes.


Aspectos práticos da Reforma Tributária


O diretor da CPBI Produtividade Institucional acredita que a Reforma Tributária deve avançar sem grandes entraves no Senado Federal, mas que ainda há muitos detalhes sobre a lei complementar que devem ser avaliados com cautela.


Dessa forma, o profissional de RIG deve conhecer muito bem as particularidades do negócio do seu cliente para poder orientá-lo sobre os eventuais impactos ocasionados pelas novas regras do sistema tributário.


Conhecer e entender o cenário geral é o que diferencia a atuação desses profissionais.”, destaca Emerson.

Prestes a iniciar um curso sobre Atuação Institucional Efetiva na Reforma Tributária, em parceria com a Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (ABRIG), Emerson falou sobre o que deve abordar em relação ao tema.


De acordo com o especialista, serão quatro pontos principais: O que a Reforma Tributária discute de forma central, quais são os principais interesses das empresas, a visão dos diferentes stakeholders e competências necessárias para atuar de forma prática.


Ainda em relação sobre como é possível lidar com os efeitos da Reforma Tributária, Emerson afirma que focar em comunicação estratégica é fundamental. Isso porque mesmo que os profissionais tenham habilidades especializadas, muitos ainda carecem de comunicar com clareza qual é o impacto, o problema ou a solução que o cliente necessita.


A compreensão do tema e clareza dos resultados das decisões é essencial para uma estratégia eficaz, afirma o especialista.


O curso Atuação Institucional Efetiva na Reforma Tributária está aberto para inscrições e tem início em 14 de setembro.





bottom of page