top of page
  • Foto do escritorAnna Carolina Romano

Transição de carreira e entrada tardia em Relgov

Atualizado: 13 de fev. de 2023




A área das Relações Institucionais e Governamentais (RIG) está em constante transformação. A partir de 2019, a atividade de relação governamental foi reconhecida pelo Ministério do Trabalho, mas a profissão ainda está em vias de ser regulamentada. E, muito embora, o mercado de trabalho esteja em pleno desenvolvimento para a função, a interlocução entre agentes públicos e privados já acontecia por meio da atuação dos lobistas – profissionais que já desempenhavam o papel de defender os interesses junto aos tomadores de decisão na política.


Por não haver uma área moldada para a prática do lobby, era comum que outros departamentos fossem responsáveis por acompanhar as mudanças na legislação e atuar em defesa das empresas, como o departamento jurídico, compliance, relações públicas, regulatório e até mesmo um conselho de diretores, ou o próprio CEO. Mas, fato é que, na maior parte das vezes, profissionais como advogados ou comunicadores não possuem todas as habilidades e competências necessárias para agir na formulação das leis.


Sendo assim, com a crescente demanda de diversos setores da economia em encontrar caminhos que viabilizem ações estratégicas para os negócios, muitas vezes pautados para serem discutidos pelos parlamentares, muitos profissionais que já tinham proximidade e interesse pelas relações governamentais, passaram a migrar para este mercado e hoje desenvolvem suas carreiras na área de RIG.


O estagiário de RIG conta que, durante a sua juventude, encontrou no esporte uma forma de se manter longe de práticas que o desviassem do propósito de se desenvolver profissionalmente. Depois de um tempo como jogador de basquete, decidiu buscar caminhos na engenharia, comércio exterior e acabou se encontrando na área das relações internacionais, trabalhando em instituições financeiras e em bancos.


Pacheco comenta que neste ponto, sua vida financeira e profissional eram estáveis, porém, o incômodo com o desempenho de suas funções no banco, despertou a vontade de migrar de área e direcionar a sua carreira para outro propósito. 


Nunca é tarde para mudar

Ao parar para avaliar as opções que tinha, o influenciador cita um fato curioso: “Quando você faz Relações Internacionais, todo mundo acha que você vai ser diplomata, mas isso não é uma verdade!”. Assim, passou a pesquisar o que poderia ser uma opção viável e acabou gostando muito das relações governamentais, principalmente ao se encantar com as pessoas da área.


Sobre a sua entrada de fato no mercado de trabalho, Pacheco afirmou não ter tido grandes dificuldades. No entanto, relatou a vontade de iniciar a sua atuação em consultorias, por acreditar que esse tipo de experiência poderia lhe render maior maturidade profissional, o que acabou não se concretizando. Em contrapartida, entrou facilmente em uma empresa voltada para o business, e acredita que as habilidades desenvolvidas antes de migrar para a área de RIG foram determinantes para isso. Hoje, Pacheco destaca como pontos positivos na IBM, a sua liberdade para defender assuntos muito importantes como a diversidade e a inclusão e a inovação. 



Uma das formas que o estagiário de RIG encontrou para ser chamado para entrevistas, foi fazer conexões no LinkedIn e conversar com os profissionais para se apresentar e demonstrar o seu interesse em ingressar na área. Neste momento, Beatriz destacou como é importante praticar a proatividade e como essas conexões são levadas em consideração na hora de migrar de emprego ou de setor:


“Relgov é uma atividade intrinsecamente das relações humanas, interpessoais. Então se você tem medo de falar com as pessoas para se vender, isso já demonstra um problema. Nem sempre as vagas de emprego estarão abertas em determinada empresa, mas você pode mudar o jogo ao ser proativo, se apresentar e vender o seu peixe”, pontuou a Gerente da Comunidade.


Vender ideias, aliás, foi um ponto que Pacheco destacou sobre as habilidades que desenvolveu antes de atuar em RIG. Ele conta que durante a sua trajetória no banco, parte de suas funções envolvia a venda de máquinas de cartão e outros produtos. Já quando atuava como jogador de basquete, por vezes liderou o time, o que lhe rendeu a experiência de gerir uma equipe ao sucesso. Ou seja, na prática, todo o conhecimento obtido anteriormente pode ser útil em seu novo desafio.


Como mostrar o seu valor

Uma das dicas mais valiosas que Pacheco revelou durante o bate-papo foi que, durante as entrevistas que participou e obteve bons resultados, ele mostrou o seu real valor e não tentou se passar por um personagem: “Seja você mesmo! É o que eu digo quando me perguntam o que fazer para dar certo.” Neste momento, Beatriz concordou com seu colega, e disse já ter passado por alguns episódios em que entrevistou pessoas que falavam muito, mas que na hora de entregar, ficavam devendo. 


Focar naquilo que você é bom e desenvolver ainda mais os seus conhecimentos também é algo que costuma dar certo, segundo o influenciador. Ele conta que há algum tempo atrás, participou de um curso do cientista político e professor Creomar de Souza, sobre análise de risco e defesa de interesses: “Era algo que eu já queria aprender, e quando o curso abriu eu participei. Isso me abriu o leque, pois eu estava focando no que eu era bom. Agora, na IBM, eu estou colocando em prática o que eu aprendi, fazendo parte dos processos de análise de risco político.”


Outra grande preocupação para quem está pensando em migrar de carreira é a de precisar dar alguns passos para trás e reiniciar todo o desenvolvimento profissional. Sobre isso, Pacheco afirma que pode sim acontecer, mas que é uma parte necessária do processo: “É algo que pode acontecer, mas que devemos encarar como um passo para trás para te dar impulso e te jogar para a frente no futuro”, afirma.


Participar de eventos, webinars, concursos e palestras, também são formas muito válidas de adquirir conhecimento e alavancar a carreira. Segundo Pacheco, este é o momento de correr atrás e aprender tudo o que for possível. Ele já passou por ocasiões em que, em plena sexta-feira à noite, estava participando de dois webinars seguidos, e hoje avalia que valeu a pena, pois aprendeu e ampliou sua rede de contatos.


Se você está em processo de desenvolver a sua carreira e precisa criar mais conexões com os profissionais da área, faça já a sua inscrição para participar da Comunidade Inteligov! Participe de talks, workshops e palestras exclusivas, além de debater ideias inovadoras em RIG!


Posts recentes

Ver tudo
bottom of page